Óleo de Coco: bandido ou mocinho?

Assunto polêmico merece um e-mail especial para esclarecer e tirar as dúvidas em relação ao que devemos comer!

A vez agora é do óleo de coco… Será que ele é bom ou ruim para o consumo?

Uma pesquisa que foi publicada na Life Sciences Research Office, da Federação da Sociedade de Biologia Experimental dos EUA (Food and Drug Administration – FDA), trouxe o óleo de coco para a lista dos alimentos polêmicos.

O estudo apontou que o consumo humano do óleo de coco não repercutia na elevação do colesterol "ruim" e das doenças coronarianas como se imaginava. Pelo contrário, justamente tem a propriedade de elevar a fração HDL do colesterol, conhecida como "fração boa", por não se depositar nos vasos arteriais.

O óleo de coco extra virgem, isto é, por extração a frio, é fonte de ácidos graxos saturados de cadeia curta e média, conhecido também como TCM (triglicerídeos de cadeia média), que são rapidamente absorvidos, transportados e oxidados pelo organismo.

Portanto, sua metabolização é mais rápida que as outras gorduras e fornecem mais energia que os carboidratos. Por isso, os módulos de TCM são tão usados por atletas de alta-performance. 

Os potenciais benefícios do óleo de coco são:

- Atuação sobre o Sistema Nervoso Central, nas regiões responsáveis por sinalizar a saciedade.
- Pode promover a redução da velocidade de esvaziamento do estômago, prolongando a sensação de saciedade.
- Parece ter efeito termogênico, ou seja, pode aumentar a taxa de metabolismo basal (bom para quem faz atividade física e quer emagrecer).
- Ao que parece pode contribuir para a redução dos triglicerídeos e aumento da fração "boa" do colesterol (HDL).
- Contém ácido láurico (o mesmo presente no leite materno), o ácido cáprico e o caprílico que podem ter ação anti-inflamatória, imunológica, antiviral, antifúngica e antimicrobiana.

No entanto, a gordura saturada é mais pró inflamatória e geralmente aumenta os níveis do LDL, com isso começam as contradições…

O óleo de coco é rico em gorduras saturadas, são as que mais se depositam nas artérias, mas isto não impede o seu uso, assim como não nos impede de usar a tão popular manteiga.

Entretanto, o consumo excessivo realmente pode trazer danos à saúde, assim como o consumo excessivo de qualquer outro alimento.

É uma gordura vegetal como tantas outras e pode ser utilizada em receitas para substituir outras gorduras, como a manteiga, margarina, óleo de soja, etc.

Mas devemos ter bom senso no consumo de todas as gorduras saturadas, incluindo a do coco.

Consumir o óleo de coco em forma de "suplemento" alimentar diário ou como promotor de perda de peso não é considerado seguro. A quantidade diária pode ser de até 1 colher de sopa por dia por pessoa. 

Para exemplificar como podemos usar o óleo de coco de forma saudável, aqui está minha receita de Crumble de Banana, uma sobremesa deliciosa, muito fácil de fazer e acima de tudo, saudável
A receita com todos os ingredientes e o passo a passo está no e-book "Receitas Vegetarianas Funcionais para o dia a dia" disponível gratuitamente no site https://www.carinamuller.com/receitas

O consumo moderado de gordura é necessário para o organismo humano, pois participa da absorção de vitaminas, síntese de hormônios e estruturas celulares essenciais para um metabolismo adequado.

Mas isso não significa que nossa fonte de gordura deva vir de batata frita e pizza todos os dias!

Uma DIETA EQUILIBRADA do ponto de vista nutricional, que pode ou não conter óleo de coco, mas que deve priorizar as Gorduras Insaturadas, associada a ATIVIDADE FÍSICA REGULAR é o melhor para nossa saúde.

Espero que tenha gostado destas informações...

Fique [email protected] que estou preparando conteúdos de ótima qualidade para compartilhar contigo nos próximos dias!

Com amor,

Carina.
E-Book Grátis!
Insira seu e-mail abaixo para receber nossas novidades...